Apesar de serem brancos, duros e cheios de cálcio, os ossos e os dentes não são considerados iguais. As diferenças se manifestam desde a maneira como eles se regeneram quando quebrados até a aparência.

Os dentes são feitos de cálcio, fósforo e outros minerais. Já os ossos contêm cálcio, fósforo, sódio e outros minerais, mas também têm muito colágeno. Colágeno é uma proteína, um tecido vivo que confere a flexibilidade dos ossos que os faz aguentar pressão. O cálcio preenche os espaços desta moldura e os faz fortes o suficiente para sustentar o peso do corpo.

Mas os ossos não são tão fortes quanto os dentes, que são a parte mais dura do corpo humano. Os dentes são basicamente tecidos calcificados, chamados dentina, cobertos de esmalte (enamel) que é duro e brilhante.

O exterior dos ossos é coberto de periósteo, uma membrana densa e lisa, com exceção da juntas de longos ossos que é preenchida por cartilagens. O periósteo contém osteoblastos, ou células que podem crescer células de osso para restaurá-lo. O esmalte do dente não tem esta capacidade de regeneração, quebrar um dente significa perdê-lo.

Outra diferença é que o tutano do osso produz células vermelhas e brancas do sangue e o dente não. Apesar do centro dos dentes parecer tutano, na verdade, é a polpa do dente, a parte “viva” de cada dente, que contém os nervos, artérias e veias. São estes nervos que nos fazem sentir dor de dente.

A última diferença é que nossos dentes estão expostos, enquanto os ossos estão guardados embaixo de nossa pele. Os dois, no entanto, exigem muitos cuidados. [Fonte; LifesLittleMysteries]